Minhas Poesias

a flor da pele
á lápis
A TI QUE FIZESTE NASCER....
Acariciando-se
Acordo Mefistofélico
aos poucos e moucos
AS FLORES DO MEU JARDIM
Assombro assobio ou escárnio
Chore, já que não aceito tais mentiras
constante mutação
Costura e engenharia
Debaixo da mangueira
Declaração de Guerra
Desafiando
Desespero de meu ser em queda
despedir-se
Devaneio Titânico
Distante de mim
Do que chamam razão resta pouco
Dos Ativos e Inativos ouço o silvo
Em transe pelo teu olhar
Enleio
Enquanto Deliro
Este que poucas palavras usa
estremeço quem me admira
Existiu um tempo em que a tristeza era passageira....
FALANDO DE ALGUÉM
FERNANDES NO CAMINHO
FILHO DO GUETO
HÁ DE ME SUFOCAR O AR QUE RESPIRO
HOJE NÃO FALAREI
HOJE TUDO SE FINDA
HOMENAGEM A COSTA VILLAR
INIDENTIFICÁVEL
Lamentações - poesia
Mão de poeta
me adiciona
me enlouqueça
meu último poema
MULHER MENINA
Mundo moderno, melhore
Não cultivo a língua em pormenores
não sonhem com campos de lírios
NAS LÚGUBRES E RECÔNDITAS ENTRANHAS
NESTES RAROS DIAS
Noites tristes
nos laços
nos laços
Novos tempos, novos rumos?
O amigo pergunta e o poeta responde
o despertar do sonho
O que disse eu as mulheres
Petição
Poemas de Cecilia Fidelli
Poesia - Verso Amigo
Poesia para o Início do ano de 2012
POR QUERER-TE TENHO SOFRIDO
Presente sobre A flor da pele
Quase ensaio, crônica ou manifesto de um poeta
Que o Suave
QUE O SUAVE
QUE TUDO TENHA SIDO VÁLIDO
QUERER SER TEU
Recruta
Rima Envolvente
Se meu trigueiro jeito
Semeadura
Soneto De Dom Casmurro
Soneto de Evocação
TEIMOSA DESTRA
TENHO FALADO
TENTATIVA
TRANSGRESSÃO
trinta linhas depois
TU QUE PROCURAS
UM BANHEIRO PARA ANA VAEDRA
vem procurar sentido
VENI, VIDI, VICI
Versos repentinos
voce que atiça minha sanha
Voltei
vou seguindo como Drummond