Status do FDS: Loading...

Status do FDS: Loading... 
A vida se encarrega de nos impor os sistemas
Mas queremos ser livres
A vida nos bite
A vida nos beat
A vida nos bate
Tem quem aposte no like
Tem quem use meio arcaico
Tem quem pense que é laico
Mas acredite software corrompido
Ou memória cheia de clusters
Requer não apenas a troca no chip
Cadê meu saco anti estático 
#info #sobreformatação #windows #.float 




Diz o verso "as concepções são milhares"

Diz o verso
"as concepções são milhares"
Muita gente conta história 
Em vários lugares,
Eu que corro dos palácios
Aos bares
Encontro na gente humilde
Atrativos singulares
Ser simples pode ser difícil
Pra quem acha que viver
É ostentar altos carros
E exibir reluzentes colares
O universo conspira
E constantemente estamos na mira
Dos negligentes olhares. #sãovãososversossãos?




Não só rimo louvores a sua pessoa

Não só rimo louvores a sua pessoa
Como faço de dizeres controversos
Uma poesia que possa ser tida de boa
Pois enquanto tu entoas líricos versos
Que todos encantam e que jamais feitos à toa
O universo a seu favor sempre conspira
E se eu de diferente forma aqui me refira
Sabem os amigos aqueles que tens no peito
Que todo o meu carinho e respeito
Dizer que te adoro como amiga nunca será mentira.






Uma publicação partilhada por Fernandes Oliveira (@poetafernandes) a

Eu aos seus encantos cedo


Eu aos seus encantos cedo
E desde cedo se ouve
Quem bem viver a vida não soube
Que a luz dos olhos lhe roube
E fim dê a todo o enredo
Medo?
Palavra omitida e deixada em segredo
Mas de ser feliz deu-te a vida
Oportunidades tantas
Que é impossível dizer quantas
Mesmo se juntarmos dez mãos
Há ainda de faltar muitos dedos




Para quem vai na direção certa


Para quem vai na direção certa

A reta é um atalho
Mais curto entre dois pontos
É que o ditado nos diz
Porém o ponto de encontro 
Que a vida proporciona
É compreendido na bissetriz.





Ao observar a dicotomia que havia


Ao observar a dicotomia que havia 

Ao observar a dicotomia que havia 
nas diversas matizes, 
nos certificamos ser, 
dentre os homens, os mais felizes 
tal pintura não era possível sequer por Matisse, 
mas a quem a visse disposta 
e levemente deixando 
sobre os montes a amostra 
a silhueta mais que perfeita 
daquela a quem este aguardou a resposta, 
mas da qual saibam a negativa 
jamais fora aceita



Eu que troquei a vírgula


Eu que troquei a vírgula

Eu que troquei a vírgula
Pelos acentos graves
E não me assento em terras alheias
Encantei um novo fonema
Esperei pelos calorosos aplausos
Trouxe a muitos uma nova ideia
Não aceitei a moda nem a media
Fiz matrizes poéticas de falsos poemas
Sentei-me a esquerda na sua ceia
Expus meus medos, entre os enredos
De uma engenhosa sereia
Que ardilosamente teceu sua teia
Com o sangue que corre em minhas veias
Fiz dos teus castelos não muito mais que punhado de areia.






Uma publicação partilhada por Fernandes Oliveira (@poetafernandes) a

Não há quem com que ensine também não aprenda

Não há quem com que ensine também não aprenda



Não há quem com que ensine também não aprenda
Anote ai na sua agenda, me ensine, então, a fazer renda
Aprendi que falar o que se pensa sem receio
faz com que de maneira mais intensa
eu compreenda que não é a desavença, falta de freio
ou sequer a falta de experiência que nos leva a contenda
Então, uma vez por todas entenda, somos todos produtos do meio
E se por migalhas eu não me venda, não me tente por venda
Eu vim pra criar mais estrago do que fora sua encomenda
Sou um filme que não necessita de legenda, nisto eu creio
Mas quem daquilo que não tem faz oferenda, faz muito feio
E só pra finalizar essa reprimenda, eu aqui abro uma fenda
E tudo que te disse com calma releio, faço daqui uma senda
Tudo o que fizer depois é lenda e que de resenhas dará saco cheio
Não caio e saio vitorioso por compreender "viver é intenso torneio".