Em transe pelo teu olhar

Em transe pelo teu olhar
tua presença me estonteia
e eu que versos fiz na areia
lá os deixei em segredo ao mar
a pele morena, a leveza do andar
o que mais atiçado me deixa
é das madeixas o brilho singular
uma voz de sereia a me embriagar
o doce nos lábios que lembram ameixas
será que atendidas foram minhas queixas
meu íntimo está a perguntar.


Se és um sonho,
então te proponho,
que neste enredo tão cedo
não ponhas um ponto final
dos deuses és um presente sem igual
pintura mais bela e perfeita
feita de varias matizes
e neste faz-de-conta,
a gente se encontra
nós meros aprendizes no amor e no palco
encenando todo dia, em poesia
o espetáculo da vida real.








Um comentário:

  1. amei teu blog amigo nando!
    sucesso, muiiito sucesso p/vc.

    ResponderExcluir