Distante de mim


Distante de mim
Esta alguém
Que nunca disse sim
Que nunca disse não também

Mas isto não me incomoda
Não mais me perturba
Está mais que na hora
De assumir a culpa

E o culpado sou eu
E mais ninguém
Em nada tudo deu
E a dor no momento me cai bem

Quem quer se mostrar
Não se esconde
E quem junto quer estar
Não fica longe

Isto meu triste coração
Não compreende
E todas as forças são em vão
De seguir em frente

Dói saber que nada se sabe
Que sempre algo falta
Que sempre é tarde
Para acalmar a penada alma.


Fernandes Oliveira

Um comentário: